Projeto Reciclando Sons

Nessa postagem vou falar de um projeto que não tem a ver somente com violinos. Tem a ver com pessoas, com voluntariado, com mudança de vidas, com um sopro de esperança a quem tem muito pouca, com um fantástico projeto social, com música, tanto clássica quanto popular e, além disso tudo, também tem a ver com violinos (e violas, e violoncelos…).

Mudando de canal na TV hoje procurando o que assistir, passei por um onde haviam algumas pessoas com violinos na mão. Como não poderia deixar de ser, parei e fui ver do que se tratava. Era a TV Câmara (se não estou enganado) e a matéria era sobre um projeto chamado Reciclando Sons, que fica na Cidade Estrutural, no Distrito Federal. A Cidade Estrutural fica próxima ao aterro sanitário do DF e muitos moradores de lá são catadores de lixo ou seus parentes. Neste cenário de pobreza foi criado o projeto, que busca através da música, mudar a vida e as perspectivas de futuro das crianças e jovens que moram lá.

Entre os vídeos disponíveis no canal deles (já no menu lateral), tem um que quero destacar, com uma produção fantástica e com uma música que eu pessoalmente adoro: Admirável Gado Novo, do Zé Ramalho.

Se você quer conhecer mais do projeto, este outro vídeo tem as informações da história dele e mostra histórias de vida que já foram mudadas desde 2001, quando o projeto foi criado pela maestrina Rejane Pacheco:

O site deles é este: http://rejanepacheco.blogspot.com.br/

Eles também estão no Facebook: https://www.facebook.com/reciclandosons

Ótima reação de um violinista quando um celular toca na platéia

Durante um concerto de música clássica, um celular toca na platéia. Ao invés de ficar com raiva, parar o espetáculo ou até dar uma bronca no dono do celular, o músico teve uma reação profundamente espirituosa, que acabou rendendo aplausos no final.

Obs: eu sei que na descrição e nos comentários é dito que é uma viola e não um violino. Mas acho que é bom o bastante e parecido o suficiente para eu colocar aqui no blog, não é?

Violino do Titanic é autenticado após 101 anos

Placa de prata que permitiu autenticação.

O violino do chefe de orquestra do Titanic foi encontrado em um sótão na Inglaterra e autentificado 101 anos após o naufrágio do navio, indicou uma casa de leilões britânica.

Foram necessários sete anos para certificar a origem do instrumento, que milagrosamente sobreviveu ao naufrágio, explicou Andrew Aldridge, da casa Henry Aldridge & Son localizada no sudoeste da Inglaterra.

O violino feito de em pau rosa pertenceu a Wallace Hartley, chefe da pequena orquestra do Titanic, que ficou conhecida por ter tocado até que o navio desaparecesse no Atlântico em abril de 1912.

O cadáver de Wallace Hartley passou dez dias na água. “O violino foi encontrado em uma mala de couro, que estava presa a seu corpo”, contou à AFP Andrew Aldridge.

Pouco tempo depois da tragédia, a mãe de Wallace Hartley disse à imprensa: “eu sabia que ele morreria com seu violino. Ele era apaixonadamente ligado a este instrumento”.

O violino, presente de sua noive Maria Robinson, tinha uma pequena placa em prata escrita “Para Wallys, por ocasião de nosso noivado. Maria”, um elemento que permitiu autenticá-lo.

Os peritos que examinaram o instrumento também concluíram que “os sedimentos e a ferrugem” encontrados no violino eram “compatíveis com uma imersão na água do mar”, segundo Andrew Aldridge. Após o resgate do instrumento, as autoridades canadenses o enviaram a Maria Robinson.

E em sua morte, em 1939, foi confiado ao Exército da Salvação. Em uma carta escrita no início dos anos 1940, uma professora de música da organização escreveu: “É quase impossível tocar (com o violino), provavelmente por causa de sua vida movimentada”. O instrumento foi então dado a uma família que o guardou em seu sótão.

“É uma incrível história humana”, comentou Andrew Aldridge. “Wallace Hartley é uma das personalidades mais importantes” da história do Titanic, principalmente devido “a sua coragem”, acrescentou, considerando que este violino “é a lembrança mais importante do Titanic”.

Este violino é avaliado em pelo menos 100 mil euros. Ficará exposto a partir da Páscoa na prefeitura de Belfast, cidade onde o Titanic foi construído. Está fora de questão colocá-lo em leilão por enquanto, segundo Andrew Aldridge, que está negociando com museus.

O Titanic naufragou nas águas geladas do Atlântico Norte durante sua viagem inaugural na madrugada do dia 14 para o 15 de abril 1912 após colidir com um iceberg. Entre as cerca de 2.200 pessoas a bordo, 1.500 morreram, entre elas os oito membros da orquestra.

Violino que “sobreviveu” ao naufrágio do Titanic.

Fonte: Terra