Violino do Titanic é autenticado após 101 anos

Placa de prata que permitiu autenticação.

O violino do chefe de orquestra do Titanic foi encontrado em um sótão na Inglaterra e autentificado 101 anos após o naufrágio do navio, indicou uma casa de leilões britânica.

Foram necessários sete anos para certificar a origem do instrumento, que milagrosamente sobreviveu ao naufrágio, explicou Andrew Aldridge, da casa Henry Aldridge & Son localizada no sudoeste da Inglaterra.

O violino feito de em pau rosa pertenceu a Wallace Hartley, chefe da pequena orquestra do Titanic, que ficou conhecida por ter tocado até que o navio desaparecesse no Atlântico em abril de 1912.

O cadáver de Wallace Hartley passou dez dias na água. “O violino foi encontrado em uma mala de couro, que estava presa a seu corpo”, contou à AFP Andrew Aldridge.

Pouco tempo depois da tragédia, a mãe de Wallace Hartley disse à imprensa: “eu sabia que ele morreria com seu violino. Ele era apaixonadamente ligado a este instrumento”.

O violino, presente de sua noive Maria Robinson, tinha uma pequena placa em prata escrita “Para Wallys, por ocasião de nosso noivado. Maria”, um elemento que permitiu autenticá-lo.

Os peritos que examinaram o instrumento também concluíram que “os sedimentos e a ferrugem” encontrados no violino eram “compatíveis com uma imersão na água do mar”, segundo Andrew Aldridge. Após o resgate do instrumento, as autoridades canadenses o enviaram a Maria Robinson.

E em sua morte, em 1939, foi confiado ao Exército da Salvação. Em uma carta escrita no início dos anos 1940, uma professora de música da organização escreveu: “É quase impossível tocar (com o violino), provavelmente por causa de sua vida movimentada”. O instrumento foi então dado a uma família que o guardou em seu sótão.

“É uma incrível história humana”, comentou Andrew Aldridge. “Wallace Hartley é uma das personalidades mais importantes” da história do Titanic, principalmente devido “a sua coragem”, acrescentou, considerando que este violino “é a lembrança mais importante do Titanic”.

Este violino é avaliado em pelo menos 100 mil euros. Ficará exposto a partir da Páscoa na prefeitura de Belfast, cidade onde o Titanic foi construído. Está fora de questão colocá-lo em leilão por enquanto, segundo Andrew Aldridge, que está negociando com museus.

O Titanic naufragou nas águas geladas do Atlântico Norte durante sua viagem inaugural na madrugada do dia 14 para o 15 de abril 1912 após colidir com um iceberg. Entre as cerca de 2.200 pessoas a bordo, 1.500 morreram, entre elas os oito membros da orquestra.

Violino que “sobreviveu” ao naufrágio do Titanic.

Fonte: Terra

Anúncios

Vídeo “A Flat” do Black Violin

Black Violin

Black Violin (Foto: Wikipedia)

Descobri o Black Violin hoje. Imagine negros norte-americanos, de Nova York, com todos os elementos de cultura da periferia, incluindo camisas de malha largas e bonés, com uma música cheia de elementos de rap, só que tocando violinos. Para mim esse vídeo é a prova definitiva de que o violino pode ser aplicado a todo tipo de música e ritmo, e fica muito bom!

Vídeo “Europe’s Skies” do Alexander Rybak

O que mais gostei neste vídeo, que é bem produzido em paisagens muito bonitas, é sua música, que apesar de moderna, não tem aquele tom mais “pop” que outros, é uma música quase folclórica, da Bielorrússia (tem uma versão do vídeo neste idioma também).

O Alexander Rybak é um violinista que a Lindsey Stirling disse ter influenciado o trabalho dela. Ela postou no Facebook uma foto dos dois quando ele foi a um show dela na turnê que ela fez pela Europa (infelizmente não consegui localizar essa postagem para colocar aqui o link, não sei se ela removeu).